× Capa Meu Diário Textos Áudios Fotos Perfil Livros à Venda Livro de Visitas Contato Links
POETIZANDO pra NÃO ir PIRANDO
Sentimentos, Poesias...Percepções ...São todos os dias
Textos
Extinguirmo-nos: a que será que se destina?
Extinguirmo-nos: a que será que se destina?

Tenho me sentido assim. Como se a maluca fosse eu. Não vejo ninguém deixando de viajar de avião...ninguém  deixando de ir ao restaurante....
Ninguém deixando de fazer reunião.
Todos estão tão cansados a ponto de chutar o balde.

Ao mesmo tempo que tem o lado não só  dá coragem, como também  da confiança no protocolo.

Mas cada passo que dou sou imbuída  de temor...

As vezes nem penso tanto por mim ( até aceito a morte quando ela a  mim vier, eu vivi bastante), mas não tô afim de deixar filho órfão  ( pois vem sei o tamanho da M que é). E também não quero me sentir culpada por ninguém.

Eu me seguro... mas  penso sobre o meu incômodo em relação ao outro, fala muito do meu desejo de talvez querer fazer o que estão fazendo. Viajando. Comendo em restaurante. confiando no protocolo, na vacina.Não sei. Acho que estou pirando.

Estranho cada pessoa que vejo no Facebook.... e penso: - Não julgue, Flávia. Cada um sabe de si....
Só que não, né.  
As pessoas tão levando e trazendo o vírus por aí.
Lembro quando peguei Covid, e fiquei isolada em casa pra não passar pra ninguém no meu prédio.  Mas soube que lá mesmo as pessoas não tiveram esse cuidado.

Eu acho estranho.
Me sinto estranha.
E estranho o outro
.
Acho mesmo que esse isolamento está  nos enlouquecendo. Sofremos dessa esquizofrenia coletiva.

Vejo gente que sai pra trabalhar.... então também se acha no direito de sair pra se divertir...
É uma forma de raciocinar.
Vejo também  pessoas que falam assim: saio porque tenho que ir trabalhar. Saio só pra trabalhar. Bebo minha cerveja dentro de casa... Não vou me arriscar mais do que deveria.

E vejo gente dizendo foda-se! Eu vou. Sou forte....e ponto, acabou.

Nada passa no espírito, a não ser o próprio ego... ou mesmo a própria carência e suas únicas e exclusivas necessidades pessoais.
Sim, somos seres carentes e precisamos do outro.

Vejo contradições: discursos e práticas.

Tudo isso é muito profundo.

E fala mesmo dessa autodestruição avassaladora que estamos promovendo no Globo terrestre.

Extinguirmos: a que será que se destina?

#flaviavalencalimapoeta
Fla Vinha Valença
Enviado por Fla Vinha Valença em 28/06/2021
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Comentários