POETIZANDO pra NÃO ir PIRANDO

Sentimentos, Poesias...Percepções ...São todos os dias

Textos

NEGRITUDE
O mote da negritude
traz a miúde .....a supressão da perspectiva de classe, clã.
E no afã-“cão come cão”!
Acaba com seu irmão - preto,branco, azul, amarelo, ou jamelão
A pobreza te ilude
E que você só vê televisão
Cê fica assim do tipo nude.
Na escassez ou na plenitude
E tua mudez é só forma de opinião
Tua bala que ilude...o docinho te confunde
Chicletiiii te dá tesão
Vai enganando teu estomago como falta de opção


Mas o que mais me irrita? O seu olhar imediato
Fica pensando, fica pensando, mas tu tem roupa e sapato....
Pra vestir,  pra sair, pra fingir, pra calça
E eu? Durmo ao léu. Eu bebo fel sem engolir sem vomitar
Regurgito sangue frio  no ar
E “tortura já não há”?
Você só para pra rezar

A jararaca pia ou rasteja no ar?

Tu cerras os dentes
Céu já não há
Maca já não há
Chegou hora de gritar

Flavia Valença Lima
Enviado por Flavia Valença Lima em 23/09/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Flávia Valença). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras